Postado por Larissa Kiddo 1 Comment


Quem me conheçe, o mínimo que seja, sabe que eu sou extremamente maníaca por Sandman, a ponto de já ter feito o cosplay de morte, e estar procurando um grupo para cosplay (alguém se habilita?)
Dream
Dream
Sandman é uma revista em quadrinhos, criada por Neil Gaiman em 1988 para o selo Vertigo da EditoraDC Comics.
(Até então, a DC Comicsapostava no Monstro do Pântano, com histórias de AlanMoore (um gênio, minha gente, aquele que criouWatchmen e Do Inferno), para fazer quadrinhos adultos na sua linha Vertigo. Com Sandman, o selo virou um sucesso.)
Quem se liga em Histórias em Quadrinhos sente aquele friozinho só de lembrar qual era a sensação de abrir uma nova revista do Sandman, com uma aventura que prometia tudo: suspense, ação, ficção, romance, comédia, terror… e que conseguia ser ao mesmo tempo um clássico.  Cult total.
A série, criada pelo inglês Neil Gaiman, transformou-se no elo comum a milhões de sonhadores no mundo inteiro na virada dos anos 80 para os 90.
Gaiman pegou uma personagem antiga e esquecida da editora e criou a sua própria versão. Sandman deixou de ser um detetive, que usava um gás para adormecer seus inimigos e passou a ser o Deus dos Sonhos, Lorde Morpheus, aquele que reina nos domínios oníricos quando todos os seres humanos fecham seus olhos e… simplesmente sonham.
Death
Death
Morpheus virou mania. Não havia história em que não pudesse aparecer, nem que fosse como coadjuvante. Ou ele ou um de seus irmãos, os Perpétuos: Destino, Delírium, os gêmeos Desespero e Desejo além do Destruição, e a mais querida, a Morte (que por acaso, também é minha preferida.)
Bastava ver um cara vestido de capa preta, cabelo despenteado, visual gótico, para fazer um fã da série reconhecer o outro. E sorrir, com aquela cumplicidade de quem diz: “Sei do que você está falando…”
Gaiman vez muitas pessoas que não gostavam de quadrinhos, ou até mesmo que nunca leram um, se apaixonar por essa história. Gente que mergulhou de cabeça nesse universo repleto de referências. É que uma história de Sandman nunca é só um conto: tem desdobramentos, um pouco de história, citações a autores…

Sandman levou os quadrinhos para uma dimensão além dos super-heróis. Como diz o site Omelete: “Nada contra o Batman, o Super-Homem, o Homem-Aranha ou os X-Men, mas, para os fãs de Sandman, havia uma boa “desculpa” para gostar mais dele do que dos outros: Morpheus é mais poderoso do que o Homem de Aço, mais esperto do que Peter Parker, mais soturno do que o Homem-Morcego e domina seus poderes sobre-humanos muito melhor do que os alunos do professor Xavier. É um deus, capaz de conduzir os caminhos dos homens, o meu, o seu, o de todo mundo.”
No total, são 13 arcos que contam a história de Sandman em 75 números, porém foram publicadas em 10 arcos:
Death and Dream
Death and Dream
1. Sandman: Prelúdios e noturnos
2. Sandman: A casa de bonecas
3. Sandman: Terra dos sonhos
4. Sandman: Estação das brumas
5. Sandman: Um jogo de você
6. Sandman: Fábulas & Reflexões
7. Sandman: Vidas Breves
8. Sandman: Fim dos Mundos
9. Sandman: Entes Queridos
10. Sandman: Despertar
Sandman, além de tratar do Sonho, trata também sobre os perpétuos!
“Os Perpétuos ou Sem Fim (Destino, Morte, Sonho, Destruição, Desejo, Desespero e Delírio) são um grupo de seres que personificam vários aspectos do universo na série de história em quadrinhos Sandman, de Neil Gaiman. Eles existem desde a aurora dos tempos e acredita-se que estão entre as criaturas mais poderosas (ou pelo menos influentes) do universo Sandman, desempenhando papel central ao longo da história, em que Sonho é o protagonista.
Os Perpétuos são uma família pouco convencional de sete irmãos. Em suas formas mais comuns, todos têm a pele branca (apesar de Destruição, Delírio e Destino serem bem menos pálidos que os outros) e a maioria tem cabelos negros, mas as aparências e personalidades variam bastante. Eles têm algum controle sobre os conceitos que representam mas, da mesma forma que os deuses retratados em Sandman, também são modelados a partir de expectativas e crenças subconscientes dos seres humanos. Em particular, a aparência de Sonho varia bastante, dependendo do observador.” - SiteWikipedia
Sonho, Morte, Desejo, Delírio, Desespero, Destruição e Destino
Sonho, Morte, Desejo, Delírio, Desespero, Destruição e Destino - Os perpétuos

Fonte: She Nerd

Reações: 

1 Response so far.

Postar um comentário