Postado por Larissa Kiddo 0 Comments


Você pode até  não ter ouvido falar deles (o que é praticamente impossível hoje em dia). Pode ter feito de conta que não ouviu o comentário de algum amigo seu, fã de música eletrônica. Aposto que até deve ter dançado “One More Time” em alguma festa por aí sem saber, mas se você é nerd, não pode negar a existência da dupla francesa Daft Punk.

Desde que surgiu em princípios da década de 1990, o duo formado por Thomas Bangalter e Guy-Manuel de Homem-Cristo (sim, este é o nome dele) vem integrando boa parte das trilhas sonoras das grandes produções hollywoodianas, sejam elas filmes nerds ou não.
O mais recente feito da dupla foi compor integralmente a trilha sonora de Tron – O Legado (2010), sendo os responsáveis por dar ritmo às corridas de moto, batalhas de disco ou cada quadro que compõem a película.
Outro exemplo? Lembra de Homem de Ferro 2? Recorda-se da cena em que Robert Downey Jr. e Don Cheadle – ambos trajando seus trajes específicos – metem porrada um no outro destruindo boa parte da mansão do primeiro? Um dos ingredientes para o bom desenvolvimento de tal pancadaria foi a faixa“Robot Rock” do disco Human After All (2005), e você sabe de quem é a canção? Daft Punk. Agora imagine Tron e Homem de Ferro 2 sem suas devidas composições sonoras?


A dupla chegou inclusive a participar de um comercial de uma marca famosa de tênis reencenando Star Wars. Junto estavam outras celebridades como o jogador David Beckham e os irmãos Liam e Noel Gallagher da extinta Oasis. Quer mais nerd do que isso?
Então que tal o visual futurístico dos músicos. Capacetes negros (Darth Vader?) e roupas que parecem ter saído de um filme de ficção científica fazem a dupla parecerem mais dois robôs do que seres humanos em si. Durante muitos anos ninguém teve acesso aos rostos do duo sendo “reconhecidos” unicamente através de suas vestimentas cibernéticas.

O primeiro álbum da dupla só veio em 1997, após anos fazendo pequenas apresentações ou discotecando pelos clubes noturnos de Paris. “Homework” introduz o público ao brilhantismo do duo em meio a faixas repletas de batidas eletrônicas secas e os sintetizadores que comporiam boa parte das futuras canções do Daft Punk. De cara, a dupla nos entrega hits como “Da Funk”, “Rolling‘ & Scratching”, “Around The World”e “Alive” que acabaram indo direto para as pistas do mundo todo.

Em 2001 a dupla nos apresentaria Discovery, aquele que é o disco mais popular do duo. Com 14 faixas do mais puro virtuosismo eletrônico o álbum serviu como trilha sonora do verão daquele e dos anos seguintes através da pegajosa “One More Time”, além de outros hits como “Harder, Better, Faster, Stronger” e “Digital Love”.
Se alguém desconfiava que o Daft Punk eram na verdade dois robôs disfarçados (embora eles não tentassem esconder isso) Human After All (2005), o terceiro trabalho do grupo é a comprovação disso. Boa parte das faixas demonstra o lado “robótico” da dupla, como a faixa título, a também já mencionada“Robot Rock”, “On/Off” e “Technologic” (com um clipe inteiro cantado por um… robô). Há até uma tentativa da dupla em buscar pelas emoções humanas em “Emotion”. A trilha sonora perfeita para a vida robótica, ou para os homens-máquina que pretendem virar humanos.

Após algumas compilações e um disco ao vivo, em 2010 a dupla anunciou que integraria a trilha sonora do remake de Tron. O resultado é mais um excelente disco repleto de elementos no melhor estilo Daft Punk. Boa parte das cenas de ação do filme se desenvolve graças ao brilhantismo da trilha, sobrando até para a dupla “aparecer” na cena em que Sam Flynn se encontra com Zuse/Castor em sua festa particular.



A sonoridade proposta pela dupla vai muito além da musicalidade eletrônica convencional. As faixas conseguem atingir um grau de excelência e perfeição tão alto que fica até a dúvida: Seria a dupla que compõem o Daft Punk robôs ou apenas meros humanos?



Reações: 

0 Responses so far.

Postar um comentário